Como funciona a fisioterapia animal?

O objetivo da fisioterapia animal é restaurar, manter e promover a melhora da função e aptidão física, bem-estar, e qualidade de vida, quando estes estão relacionados a distúrbios locomotores e de saúde.

Em pequenos animais, inclui-se o tratamento de fisioterapia animal durante sua recuperação após procedimentos cirúrgicos ortopédicos, programas de perda de peso, fortalecimento de grupos musculares específicos e ajuda no controle de condições crônicas ou progressivas.

A ênfase é dada na prevenção ou diminuição dos sinais clínicos, e também na prevenção da progressão das disfunções e limitações funcionais e na incapacidade que pode resultar em algumas doenças, distúrbios, condições ou lesões. (LEVINE, D., 2008).

Um bom plano de reabilitação pode acelerar a recuperação, prevenir danos permanentes e evitar a reincidência do problema.
Após avaliação e determinação de um plano de ação (que pode mudar de acordo com a evolução do caso), o fisioterapeuta dará início ao tratamento. O número de sessões semanais de fisioterapia animal varia de acordo com a patologia e resposta ao tratamento.

Normalmente, em crises agudas, ou pós cirúrgico ortopédico, são realizadas 10 sessões iniciais de fisioterapia animal e depois sessões quinzenais para manutenção. Alguns animais, e algumas patologias, não precisam da manutenção. Para patologias neurológicas não podemos precisar número de sessões.

*Este texto foi escrito por Renata Mosse, médica veterinária responsável pela reabilitação de animais no Hospital Veterinário Rebouças. Graduada em Medicina veterinária pela Universidade Anhembi Morumbi em 2011, pós graduada em fisioterapia animal e reabilitação veterinária pelo IBRA SP e especialista em Canine Rehabilitation pela UNIVERSITY OF TENNESSEE.